“Neste verão, sol com moderação…”

20 de Julho de 2018
Rosaria Silva

A Associação Portuguesa de Cancro Cutâneo (APCC) organiza neste verão uma campanha de alerta em relação aos cuidados a ter com o Sol em férias e no trabalho, com o apoio de Carrinha de Sensibilização que vai percorrer pela primeira vez, durante o mês de Julho, o país de Norte a Sul junto de praias marítimas e fluviais, bem como locais de trabalho ao ar livre, nomeadamente junto de trabalhadores de construção civil e de agricultura, com a mensagem de Neste Verão, Sol com moderação.

Esta iniciativa da APCC conta com o apoio da Sociedade Portuguesa de Dermatologia e Venereologia (SPDV) e Direção Geral da saúde (DGS).

A 22 de Julho, na Praia dos Pescadores, na Baía de Cascais, pelas 10h30, Osvaldo Correia, Dermatologista e Presidente da APCC acompanhado de colegas Dermatologistas, e outros convidados irão apresentar esta Campanha de Verão, lembrando a incidência elevada e crescente dos cancros da pele, a necessidade de melhor proteção no desporto ao ar livre e no trabalho, ajudando a promover o auto exame para identificar o mais precocemente possível eventuais cancros da pele que podem ocorrer mesmo em idade de adulto jovem, muitas vezes pelos exageros cumulativos de exposição exagerada e inadequada ao Sol.

Saiba como se prevenir e como fazer o auto-exame em: www.apcancrocutaneo.pt e www.euromelanoma.org )

Cuidados a ter com o sol

  • Uso adequado do chapéu
  • Roupa que proteja o decote, braços e antebraços
  • Óculos escuros
  • Uso de protetor solar de índice de proteção solar ? 30 mas em textura de creme ou leite, evitando os protetores solares muito fluidos, invisíveis ou em espuma que podendo afirmar-se de proteção muito elevada e resistentes à agua podem, na prática, não conferir as proteções referidas e muito menos de carácter prolongado
  • Evitar a exposição nas horas de maior risco, em particular entre as 11 e as 17 h, sobretudo nos dias índice de UV elevado.

Consultem: www.ipma.pt e lembrem-se que podem existir índices de UV elevados e as temperaturas não serem altas, conferindo maior risco de queimadura solar ou agressão significativa mesmo sem queimadura.